Header Ads

RESPONSIVE ADS HERE
RESPONSIVE ADS HERE

A rica cultura paranaense!


A cultura paranaense é muito rica e diversificada e resulta das múltiplas contribuições de diversos povos que foram se estabelecendo nas terras do Estado ao longo dos séculos.
No início, o Paraná acrescentou aos costumes dos índios que já ocupavam o território, as influências europeias de portugueses e espanhóis e ambos foram enraizando suas culturas nas terras paranaenses. A cultura europeia foi sendo redimensionada pelos mitos e costumes indígenas e no litoral, ainda podem ser encontradas tradições no artesanato de potes de barro, que mesclam pinturas com traços europeus e indígenas.
No primeiro planalto, a cultura portuguesa era mantida principalmente pelos barões da erva-mate. Porém, vale lembrar que a cultura do mate é originalmente indígena e se espalhou pelo Sul do país através das missões espanholas espalhadas pelo espaço. Além do mate, herdamos dos índios alguns costumes como consumir ervas, milho, mandioca, mel e tabaco.
Os tropeiros, durante o século XVII até o século XX, em suas passagens por vários eEtados, espalharam a cultura do chimarrão, o consumo do café, do arroz e do feijão tropeiro. Na região dos campos gerais, grande parte das tradições são herança do ciclo das tropas; em Piraí do Sul, um dos locais de parada das tropas, o Menino Deus é homenageado em uma festa que remete aos tempos dos tropeiros e cuja imagem original foi trazida por eles, no século XVIII, das ruínas das missões jesuítas de Sete Povos, no Rio Grande do Sul, para a primeira capela da cidade paranaense.
Os negros escravos também deixaram suas marcas na cultura do Estado. O Brasil colonial, marcado pelo trabalho escravo, deixou como herança não só a miscigenação de raças, mas também a feijoada, a cachaça e suas danças e ritos.
Mais tarde, os imigrantes que se fixaram principalmente no sul e leste do Paraná, trouxeram manifestações próprias que se misturaram à pré-existente cultura popular do Estado. Tradições polonesas, alemãs, ucranianas, libanesas e japonesas, por exemplo, somaram-se às manifestações de origens indígenas, africanas, portuguesas e espanholas, tornando a cultura do Paraná ainda mais diversa.

Foram trazidas uma série de crenças e histórias que enriqueceram o folclore do estado e contribuíram para a criação das lendas e contos populares do Estado. Festas populares e religiosas, santos e padroeiras de alguns municípios também foram influenciadas pelo imigrantes. Esses imigrantes também influenciaram no modo das edificações e construções, na culinária, no artesanato, na música, nas danças típicas e nos costumes ainda observáveis na população.
No século XX, paulistas, mineiros e nordestinos migraram para o Estado, colonizando principalmente o norte e nordeste do Paraná. Eles trouxeram para essas regiões as Folias de Reis, onde ainda são uma tradição significativa. Os migrantes também introduziram novos meios de alimentação e de produção na roça do Paraná. No oeste e sudoeste do Estado, a migração se deu em maioria por gaúchos e catarinenses, deslocados para ocupar essas terras.
Assim, o estado do Paraná é uma grande composição cultural influenciada por grupos que deslocaram-se de seus países ou estados por variados motivos. Essa mistura toda resulta na cultura paranaense, manifestada e representada na arquitetura, na culinária, no artesanato, na literatura, na música.
Fonte: Panorama do Turismo. Publicação de divulgação
do Turismo. Julho de 2009, p. 4-5.